Notícias

14-11-2019 Cantores de k-pop são condenados a prisão por estupro

A Justiça da Coreia do Sul condenou duas estrelas do k-pop à prisão nesta quarta-feira, 13. Os cantores Jung Joon Young, do grupo Drug Restaurant, e Choi Jong Hoon, da banda F.T. Island, foram sentenciados a sete e cinco anos de prisão, respectivamente, por terem participado, filmado e compartilhado imagens de um estupro coletivo em um grupo virtual criado para esta finalidade em duas ocasiões no ano de 2016.

'Ligue 180' recebe denúncias sobre assédio e violência contra a mulher

A emissora sul-coreana SBS divulgou uma entrevista com uma das vítimas, que preferiu não se identificar. A mulher afirmou que havia saído com cinco pessoas, incluindo os músicos, e desmaiou. Ao acordar na manhã seguinte, notou que estava nua em um quarto de hotel.

Em março, Jung foi indiciado por gravar vídeos de suas relações sexuais e compartilhar o material em chats online. Na ocasião, ele se declarou culpado por ter gravado as imagens sem o consentimento das mulheres. “Enquanto eu fazia isso, não senti nenhuma culpa. Pelo resto da minha vida irei me arrepender dos meus atos imorais e ilegais que constituem crimes”, declarou.

O grupo

Não é a primeira vez que celebridades do ramo se envolvem em escândalos sexuais. O aplicativo KakaoTalk, equivalente coreano do WhatsApp, tornou-se conhecido no país por abrigar um grupo onde artistas de k-pop compartilhavam conteúdo criminoso.

Nomes como Seungri, da banda Big Bang, o guitarrista Lee Jong-hyun, do grupo CNBlue e Yong Jun-hyung, do Highlight, já foram citados no escândalo.

Voltar
Deixe Seu Comentário