Notícias

14-06-2018 Doar sangue salva vidas e faz bem ao doador

Doar sangue é um processo fácil, rápido, seguro e solidário. A doação de sangue ocorre quando uma pessoa voluntariamente vai a um centro especializado e disponibiliza seu sangue para ser usado em transfusões ou outras situações clínicas.

No Brasil são coletadas 3,7 milhões de bolsas por ano, o que corresponde ao índice de 1,8%. Na Europa e Estados Unidos, esse percentual é de 5% a 7%. Contudo, o Ministério da Saúde tem investido em diversas ações para aumentar as taxas de doação.

No dia 14 de junho é celebrado o "Dia Mundial do Doador de Sangue" e juntamente com a data diversos hospitais e órgãos de saúde lançam a campanha Junho Vermelho, para incentivar a doação.

Tipo sanguíneo

De acordo com a Santa Casa de São Paulo, essa é a prevalência dos tipos de sangue na população:

Grupo sanguíneo        Grupo sanguíneo        Grupo sanguíneo

O-        36%     9%

A          34%     8%

B          8%       2%

AB       2,5%    0,5%

A classificação de doadores e receptores de sangue é:

Tipo sanguíneo           Doa para         Recebe de

O+       Todos os tipos de fator Rh+   O+ e O-

O-        Todos os tipos O-

A+        A+ e AB+         O+, O-, A+, A-

A-        A+, A-, AB+, AB-         A- e O-

B+        B+ e AB+         O+, O-, B+, B-

B-        B+, B-, AB+ e AB-       O- e B-

AB+     AB+     Todos Rh+ e Rh-

AB-      AB+ e AB-       Todos os tipos Rh-

Importância da doação de sangue

A falta do estoque de sangue em um hospital pode levar ao cancelamento de cirurgias e de procedimentos. Um exemplo é o paciente que faz quimioterapia, já que, caso não receba o suporte de transfusão, poderá não resistir ao tratamento. "Além disso, pode ser um enorme prejuízo ao paciente o adiamento de cirurgias cardíacas, de transplantes de rim, de fígado, de medula óssea, entre outros procedimentos que necessitam de sangue e de plaquetas", diz a biomédica Cinthya Duran.

Saiba mais: Entenda como seu corpo reage após doar sangue

Uma pessoa adulta possui em média cinco litros de sangue e em uma doação são coletados no máximo 450 ml. Ou seja, é menos de 10% de todo seu sangue. Quem deseja doar sangue vai passar por uma avaliação prévia em ambulatório que tem o objetivo de detectar alguns impedimentos, como doenças, para a doação. Essa entrevista é particular e os dados são mantidos sob total sigilo.

Doação de sangue: conheça o passo a passo

A doação de sangue é 100% voluntária e não causa prejuízos ao seu organismo. Uma única doação é possível salvar até quatro vidas, uma vez que o material é separado em diferentes hemocomponentes: concentrado de hemácias (glóbulos vermelhos), concentrado de plaquetas, plasma e crioprecipitado que podem ser utilizados em diversas situações clínicas.

Saiba mais: 8 fatos que vão te convencer a doar sangue regularmente

Doação de plaquetas

O sangue é composto de glóbulos vermelhos, glóbulos brancos, plasma e plaquetas. As plaquetas ajudam no controle de sangramentos e parte delas pode ser doada sem causar prejuízo algum à saúde do doador. O processo que permite a separação e a coleta específica de plaquetas chama-se aférese.

O procedimento de coleta de plaquetas por aférese consiste na retirada do sangue total do doador, separação dos componentes por meio de centrifugação, retenção de parte das plaquetas e retorno dos demais componentes do sangue para o doador. Todo o processo dura cerca de 90 minutos.

A doação de plaquetas pode ser realizada a cada 72 horas, não ultrapassando 24 doações em 12 meses. A reposição das plaquetas pelo organismo é rápida e ocorre em torno de 48 horas. Caso você tenha doado sangue recentemente e queria doar plaquetas é preciso esperar o tempo da doação.

Os mesmos requisitos exigidos para doação de sangue também são aplicados para a doação de plaquetas por aférese. Entretanto, é necessário que o doador seja avaliado previamente quanto às condições de acesso venoso necessárias para a realização do procedimento.

Requisitos para doação de sangue

Existem normas nacionais e internacionais para a triagem de pessoas aptas a doar sangue, sendo que órgãos como o Ministério da Saúde e a Associação Americana de Bancos de Sangue são responsáveis por esse controle. O alto rigor no cumprimento dessas normas garante a saúde das pessoas que receberão o sangue, uma vez que ele não pode estar contaminado com outras doenças.

Os requisitos para doação de sangue são:

Estar em boas condições de saúde

Ter entre 16 e 69 anos. Pessoas acima de 60 anos só podem doar se já tiverem doado sangue alguma vez antes dessa idade

Pesar no mínimo 50kg

Estar descansado (ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas)

Estar alimentado, por isso evite alimentos gordurosos e aguarde até 2 horas para doar

Apresentar documento original com foto, que permita o reconhecimento do candidato, emitido por órgão oficial (Carteira de Identidade, Cartão de Identidade de Profissional Liberal, Carteira de Trabalho e Previdência Social).

Pessoas com menos de 18 anos precisam estar acompanhadas dos responsáveis ou com formulário de autorização.

Quem não pode doar sangue?

No hemocentro, os principais impeditivos para doar sangue são:

Ter idade inferior a 16 anos ou superior a 69 anos

Ter peso inferior a 50 k

Voltar
Deixe Seu Comentário