Notícias

16-07-2018 Maripá - A Festa das Orquídeas e do Peixe chega a sua 20º edição

Consagrada como uma verdadeira feira de negócios, o evento traz as inovações e tecnologias nos setores da piscicultura e orquidicultura, gastronomia, comércio, capacitações e muito mais.

De 24 a 26 de agosto de 2018. A 20ª edição da Festa das Orquídeas e do Peixe terá grandes atrações. São 20 anos de evolução e crescimento, tempo dedicado a fazer sempre mais e melhor para receber cada um em nossa cidade.

E para abrilhantar ainda mais essa grandiosa festa, na sexta-feira (24), haverá show da dupla João Bosco & Vinicius, e no sábado (25), show da dupla Fernando & Sorocaba, ambos gratuitos.

Milhares de pessoas são esperadas nos três dias do evento e você e sua família também estão convidados.


Conheça a história da Festa das Orquídeas e do Peixe

 

A Festa das Orquídeas e do Peixe surgiu para homenagear duas fortes fontes da economia do Município de Maripá: a piscicultura e a orquidicultura. A primeira edição foi realizada no ano de 1998, na Praça das Orquídeas, com a utilização dos pavilhões das igrejas e a exposição de orquídeas no Centro Comunitário Fernando Daniel Schanoski. Após algumas edições, precisamente no ano 2000, houve a inauguração do Centro de Eventos e a festa passou a ser realizada com mais espaço e organização neste local.

A Comissão Central Organizadora (CCO) da Festa das Orquídeas e do Peixe realiza no ano de 2018 a 20ª edição desta festa, que ocorrerá nos dias 24,25 e 26 de agosto. O evento é realizado sempre na última semana do mês de agosto, mês em que as orquídeas das árvores florescem, embelezando a cidade e estimulando a venda.

Conheça mais um pouco sobre a história da produção de PEIXES e ORQUÍDEAS em Maripá:

PISCICULTURA

A atividade da piscicultura comercial em Maripá teve seu início logo após a instalação do Município e a chegada da Emater, no ano de 1993. Anteriormente, a piscicultura era atividade exercida de forma artesanal, apenas para consumo familiar nas pequenas propriedades rurais localizadas nas diversas comunidades do interior do município. Sob a coordenação do Técnico da Emater, Cesar Antonio Ziliotto e com auxílio de um técnico da Prefeitura Municipal, iniciaram-se a partir de 1994 a construção dos primeiros tanques/viveiros de forma tecnicamente correta para engorda de Tilápias e também o acompanhamento técnico aos piscicultores.

No ano de 1993 foi realizado um levantamento e constatou-se a existência de 81 propriedades com tanques de piscicultura, perfazendo um total de 35 ha de lâmina de água com uma produção total de 105 toneladas de peixe. A atividade continuou a crescer ano após ano, mas nesse caminho houve muitas dificuldades especialmente com a comercialização da produção, tais como: excesso de demanda em certos períodos do ano, baixos preços, falta de pagamento por parte de pesque-pagues e indústrias, falências de indústrias e muitos aventureiros. Tudo isso fez com que muitos produtores se desmotivassem e desistissem da atividade. A partir do ano 2000, o município mudou a forma de levantamento passando a contabilizar apenas os produtores comerciais, os quais passaram a ter uma assistência técnica diferenciada com apoio da Prefeitura Municipal, Emater e Aquimap (Associação dos Aquicultores do Município de Maripá).

No ano de 1996, numa parceria entre a Prefeitura Municipal, Emater, Governo do Estado e o produtor Helmuth Poerner, foi instalada a Unidade de Pesquisa e Observação em Piscicultura, primeira iniciativa do gênero em todo o Estado do Paraná. Esta unidade instalada na propriedade do senhor Helmuth foi posteriormente transformada em Unidade Demonstrativa. Nesta unidade dezenas de experimentos foram realizados com resultados expressivos que muito colaboraram no crescimento e na melhoria da atividade a nível local, Estadual e Nacional. Piscicultores, técnicos e pesquisadores de diversos Estados Brasileiros e, inclusive, do exterior visitaram esta propriedade.

Diante das boas perspectivas, os piscicultores decidiram organizar-se através de uma associação, visando a estruturação do setor produtivo de peixes. Foi assim que surgiu no ano de 1997, a Aquimap – Associação dos Aquicultores do Município de Maripá, que veio para fortalecer o associativismo entre os piscicultores e que continua sendo fundamental para o desenvolvimento da atividade no município até hoje. Atualmente a Aquimap conta com aproximadamente 50 sócios piscicultores.

O Poder Público Municipal, a Emater e a Aquimap sempre foram grandes apoiadores para o desenvolvimento da piscicultura no município, fornecendo subsídios para o fomento e desenvolvimento da atividade, mantendo o compromisso com a sustentabilidade ambiental.

Atualmente a lotação média adotada pelos piscicultores do município é de 5 a 8 peixes/m² com uma produtividade média obtida na safra 2017 de 50,5 toneladas/hectare/ano e uma produção de 7.224 toneladas em uma área de lâmina d´água de 143 hectares, produção esta obtida por 101 piscicultores comerciais do município.

Hoje, Maripá orgulha-se de ser o município do Paraná com a maior produtividade de tilápias/m² em tanques escavados. Isto não aconteceu por acaso, mas é fruto de planejamento, muito trabalho, profissionalismo e dedicação de muitas pessoas que, anonimamente, dedicaram anos de suas vidas para que essa atividade se desenvolvesse, contribuindo com a melhoria da qualidade de vida de muitos munícipes e, consequentemente, para o melhor desenvolvimento do município.

ORQUIDICULTURA

A iniciativa de embelezar o Município de Maripá com o plantio de orquídeas nas árvores de todas as ruas da cidade surgiu no ano de 1993, por meio da Professora Ziria Dalchiavon, em uma preparação do desfile de 07 de setembro, onde com o apoio e consciência ambiental da comunidade maripaense o projeto teve início.

Alguns munícipes já admiravam a planta e cultivavam certas variedades de orquídeas em suas residências. Então houve a organização de uma gincana de arrecadação de mudas pelos alunos das escolas municipais e estaduais, onde no término da brincadeira conseguiram aproximadamente seis mil mudas, que foram distribuídas entre as árvores públicas.

Ao longo dos anos a orquídea foi se popularizando cada vez mais e novos plantios foram ocorrendo. Inicialmente como trabalho para os alunos e, mais tarde, envolvendo toda a comunidade, com o apoio da Prefeitura Municipal, inclusive incentivando com premiações, como o desconto no IPTU.

No ano de 1997, Maripá foi designada como a “Cidade das Orquídeas”, título aprovado pela Câmara Municipal de Vereadores através da Lei nº 144 de 10/12/1997. No ano de 2015, em nível de Estado, a Assembleia Legislativa do Estado do Paraná concede ao Município de Maripá o Título de “Cidade das Orquídeas” através da Lei nº 18.461 de 23/04/2015. A cidade encheu-se com ainda mais flores e muitos orquidários foram sendo criados, tanto na Sede do Município como nos Distritos de Pérola Independente e Candeia e em algumas linhas do interior.

Atualmente existem em todo município 12 orquidários que cultivam suas plantas e promovem exposições no município, em feiras da região e até em outros estados, onde a venda anual gira em torno de 100 a 120 mil plantas.

A tradição do plantio de orquídeas nas árvores da cidade continua. Hoje, estima-se que mais de 300 mil orquídeas estejam plantadas em árvores de vias e praças públicas. Em 2013, a Administração Municipal criou o projeto ‘Maripá, Cidade das Orquídeas’, que surgiu para recuperar as orquídeas que sofriam com a falta de manutenção e também para ampliar a quantidade de plantas. Além de embelezar a cidade, fez com que a comunidade relembrasse a identidade de ser da Cidade das Orquídeas. Neste projeto, é realizada a revitalização das orquídeas, que consiste na limpeza e poda das orquídeas já existentes, além do plantio de novas mudas.

Voltar
Deixe Seu Comentário