Notícias

14-06-2019 Os novos supermercados operados apenas por máquinas  

Por incrível que possa parecer, já existem no Brasil supermercados autônomos que operam sem caixas e sem seguranças, permitindo que o consumidor faça suas compras e efetue o pagamento, sem nenhum contato com funcionários do estabelecimento.

A novidade está em São Paulo, onde startup ou empresa de base tecnológica recém-criada e ainda em fase de desenvolvimento, denominada Zaitt, se uniu à varejista Carrefour para lançar mercado que funciona por QR Codes, RFID e, no futuro, por reconhecimento facial, com planos de montar rede nacional desses estabelecimentos.

         Na loja já existente, é possível fazer compras de maneira isolada ou na companhia de outros consumidores, sem contato com caixas e a meta da empresa é chegar a 21 mercados autônomos Zaitt até o final deste ano e expandir para outras atividades verticais do comércio digital.

         A empresa foi criada há três anos em Vitória, no Espírito Santo, tendo como principal objetivo o uso de aplicativo para delivery ou entrega domiciliar de bebidas. Após um ano de atividades, a ideia incluiu a abertura de loja de conveniência física, ampliando o estoque de produtos comercializados.

         Com o crescimento do empreendimento, em meados de 2017 foram desmembradas as operações online e física, com a criação de negócios distintos. Assim, o aplicativo para venda e entrega de bebidas se tornou para delivery de produtos diversos, com a criação da startup Shipp.

Enquanto isso, a loja de conveniência física continuou com o nome de Zaitt, mas com proposta de avançar por meio de tecnologias como ponto de vendas. Assim, em dezembro de 2017, surgiu a primeira unidade do grupo nos atuais moldes autônomos.

         Com a adoção de novas tecnologias e expansão da equipe de trabalho, o negócio cresceu muito em Vitória e os proprietários decidiram pela expansão para São Paulo, o que aconteceu no final de 2018. Como os resultados foram positivos, a empresa já possui 23 funcionários, dos quais 20 em São Paulo.

         A unidade paulista iniciou suas atividades em março de 2019, após três meses de escolha e montagem do ponto comercial. O estabelecimento tem apenas 75 m2 e está próximo de supermercado da rede Carrefour, com a qual mantém parceria, mas com grande expansão em relação ao mercado autônomo em Vitória, com 35 m2.

         A rede Carrefour colaborou na montagem da loja, do design ao mix de produtos, sendo responsável pela manutenção de quantidade certa de produtos na unidade e os estoquistas são os únicos funcionários humanos do mercado autônomo.

         Para fazer compras no estabelecimento, o consumidor precisa baixar aplicativo e inserir dados pessoais, como documentos e selfie, além de informações financeiras, com cadastro de cartão de crédito. Com o celular em mãos, precisa usar a leitura de QR Codes para passar por duas portas e chegar às prateleiras de produtos.

         O mercado autônomo paulista dispõe de 800 itens de produtos alimentícios e higiene, que possuem etiquetas com dados para   identificação por radiofrequência (na sigla original, RFID).

Após selecionar as compras, o cliente deve passar sempre de forma individual por duas portas. A primeira é aberta por QR Codes e a segunda tem tela com os produtos selecionados através de sinais de rádio, confirmando o pagamento com cartão de crédito. Após finalizar a transação, o consumidor pode deixar o estabelecimento.

 

*O autor é ex-deputado federal pelo Paraná e ex-chefe da Casa Civil

  do Governo do Estado

  E-mail: dilceu.joao@uol.com.br

Voltar
Deixe Seu Comentário